O uso de VPNs é legal

As pessoas querem privacidade quando estão na internet, e também querem ficar o mais seguro possível. Inevitavelmente, a busca as leva às VPNS. Na medida em que pesquisam sobre como VPNs funcionam e os benefícios que oferecem, elas começam a se perguntar se esse tipo de serviço é legal ou não.

1.É legal… na maioria das vezes

Felizmente, a resposta é sim. Na maior parte dos países, as pessoas têm o direito à privacidade, então não deveria haver problema algum com a utilização de serviços de VPN. Claro, isso não vale para qualquer lugar. Há países, como China e Irã, que não acreditam que seus cidadão devam ter privacidade total. Esses países também tendem a reprimir direitos de outras maneiras. Nesses casos, os países talvez possam impedir que serviços de VPN operem dentro de suas fronteiras e até mesmo tentar bloquear o acesso de alguns usuários a serviços de VPN de outro país.

No entanto, isso não significa que essas pessoas não encontram formas de contornar a censura. Mesmo na China, que tem uma das censuras mais poderosas e invasivas do mundo, as pessoas ainda conseguem ultrapassar os bloqueios e acessar serviços de VPN, alcançando assim liberdade na internet.

Isso é importante para pessoas que vivem nesses países e querem ter mais privacidade e liberdade, assim como para jornalistas que trabalham ali. Hoje em dia há vários países – até mesmo alguns inesperados – que contam com leis de vigilância cada vez mais amplas. A França e o Reino Unido são ótimos exemplos. Com a ascensão do terrorismo, as leis de vigilância começaram a aumentar.

É importante lembrar que tais leis podem afetar os tipos de serviço que são permitidos nesses territórios. O Reino Unido e a França, do exemplo anterior, pedem que os provedores de VPN mantenham registros das atividades de seus usuários. Aqueles que quiserem ter privacidade de verdade terão, portanto, que trabalhar com VPNs localizadas em outros países, onde não haja a necessidade de manter registros.

Outro ponto para se ter em mente é que, mesmo que haja países onde não é necessário manter registros, isso não significa que os provedores não estejam fazendo isso. Portanto, você deve sempre considerar esse ponto e verificar se a empresa de VPN que você está considerando contratar mantém quaisquer registros.

2. E em relação a torrents e serviços de streaming?

Aqueles que querem usar esses tipos de serviço muito frequentemente pretendem usá-los para o streaming de vídeos, como Netflix ou Hulu. Os catálogos para tais serviços são muito mais extensos em lugares como os Estados Unidos, portanto é sensato que queiram “forjar” um endereço de IP para aproveitar ao máximo sua assinatura. Muitas das VPNs disponíveis oferecem essa opção explicitamente. Isso não é o caso com todas elas, então é necessário verificar se tal recurso está disponível em seu serviço ou não.

O mesmo vale para aqueles que querem usar torrents. Se o provedor permitir torrents com seu serviço – e isso é normalmente expresso de forma clara –, você pode. Se estiver com dúvidas em relação a isso, é sempre bom perguntar para o próprio provedor. Esta é geralmente a melhor forma de usar torrents.

Normalmente, ao baixar um arquivo por torrent, todos que estiverem no servidor e aqueles que estiverem baixando o arquivo terão acesso ao seu IP. É claro que isso não é algo desejável, e é nesse ponto que a VPN vem para ajudar. Com a VPN, você não terá de se preocupar com a possibilidade de todos poderem acessar seu endereço de IP. A VPN irá escondê-lo, de forma que o único IP que os usuários da P2P verão é o da própria VPN.

3. Algumas coisas são sempre ilegais

Um bom provedor de VPN deseja a sua segurança e ajudar a garantir sua privacidade quando estiver na internet. Ao usar um provedor para fins legais, a maioria dos países não terá nenhum problema com isso. É quando há uso da VPN para fins ilegais que os problemas começam. Há pessoas mal-intencionadas que abusam do poder das VPNs e cometem atividades horrendas; tudo que isso gera para aqueles que querem usar o serviço por motivos de privacidade é um olho roxo.

Provedores de VPN de alta qualidade também proíbem atividades ilegais na internet, incluindo coisas como pornografia infantil, atividades de hackers em contas e e-mails, a disseminação de vírus, spam, roubo e golpes. As empresas não querem ser associadas com pessoas que fazem tais coisas, e, se uma VPN for totalmente aberta, com uma política de “não existem regras”, você provavelmente não quer ser associado a ela.

4. Conheça a VPN que escolher

Como podemos ver, uma VPN possibilitará que faça várias coisas na internet sem você ter de se preocupar com a possibilidade de alguém estar seguindo suas atividades e descobrindo que sites você tem visitado. Quando privacidade é o que você quer, não há opção melhor do que uma VPN. Porém, nem todas as VPNs são criadas igualmente, e é por isso que é crucial tomar um tempo para pesquisar sobre elas, em vez de simplesmente adotar a primeira que encontrar. Sempre leia as políticas do serviço, para que entenda se as companhias mantém registros ou o que permitem e não permitem.

Uma boa VPN pode fazer muito por você. Elas manterão sua privacidade ao navegar na rede, e todos merecem ter privacidade. Além disso, ela têm a habilidade de ajudá-lo a manter-se a salvo de hackers e de outras pessoas que poderiam causar danos. Com um bom serviço de VPN, você pode usar a internet da maneira que achar melhor.